Notícias

23 de Outubro de 2019

NOTA PÚBLICA

Compartilhar:

A Associação dos Delegados de Polícia do Estado de Sergipe (Adepol/SE) vem a público manifestar apoio à Delegada-Geral da Polícia Civil de Sergipe, Dra. Katarina Feitoza, injusta e desrespeitosamente atacada por uma nota de repúdio emitida pelo Sindicato dos Policiais Civis (Sinpol/SE).

Todos os grupos táticos policiais e militares do mundo assentam-se no tripé principiológico "OPERAR, TREINAR E DAR TREINAMENTO". A recusa emitida por policiais que coordenavam a CORE de cooperarem com a formação operacional dos futuros Delegados de Polícia colide frontalmente com esse tríplice vetor valorativo internacional. Além disso, a ausência de cooperação com a administração superior da Polícia por parte de ocupantes de cargos em comissão, fratura de modo irreparável o princípio da confiança que constitui a razão de ser de cargos dessa natureza.

Por sua vez, no tocante à escolha de um Delegado de Polícia para o comando da CORE, o acerto da Delegada-Geral assume especial relevo, uma vez que tal decisão materializa o cumprimento do imperativo constitucional de que a Polícia Civil tem de ser dirigida por Delegado de Polícia de Carreira.

Com um Delegado à frente da CORE, esse grupo tático passa a ter um controle hierárquico e disciplinar exercido por quem tem a legitimidade constitucional para tal, podendo, inclusive, deixar de ser apenas um grupo para se tornar uma unidade especializada da Polícia Civil. Além disso, o Delegado designado, Dr. Jorge Eduardo dos Santos Filho, é um profissional extremamente capacitado na área tática e operacional, dispondo de excelente currículo.

Por fim, lamentamos o tom e os termos desrespeitosos da nota do Sinpol/SE, entendendo a Adepol/SE que nenhuma mobilização sindical pode fragilizar a hierarquia e a disciplina na Polícia Civil, pilares de toda instituição de força pública armada, imprescindíveis para o cumprimento de sua missão de proteger o povo sergipano.

A Diretoria